DESRATIZAÇÃO EM OSASCO 24 HORAS

Mix Brasil Embalagens

DESRATIZAÇÃO EM OSASCO COM PREÇO JUSTO, ORÇAMENTO NO LOCAL GRATUITO E GARANTIA DO SERVIÇO.
Desratização em Osasco. Serviço de desratização para eliminação de colonia de ratos, dedetização de pragas e insetos em condomínios, residências, comércio, empresas, indústrias, escolas, hospitais e clínicas
Alerta a presença de indesejados roedores. Com aDesratização     A Osascenter desratização da Osascenter conseguimos controlar o amento desses roedores em seu patrimônio. Na cidade de Osasco SP pode contar com uma dedetizadora Osascenter com 12 anos de experiencia em Dedetização.
Dedetizadora em Osasco SP, atende todos os dia da semana inclusive no feriado,  ligue e solicite o orçamento sem compromisso.
A Osascenter realiza trabalhos de Desratização em com equipe pronta e equipada para atende-lo 24horas. Oferecemos uma visita gratuita com atendimento imediato e um orçamento sem compromisso. Dedetizadora em Osasco realizado serviços de Desratização, Descupinização, Limpeza de caixa d água Limpeza de galeria, Dosentupimento de esgoto e Limpeza de caixa de gordura em toda a região de Osasco.
A empresa Osascenter, tem uma vasta experiência no mercado de controle de pragas urbana e limpeza tecnica industrial em Osasco.
Universalmente temidos e abominados, os ratos, as ratazanas e os camundongos, vem acompanhando o homem na maioria das áreas habitadas do mundo. A facilidade de adaptação permitiu que estes roedores ocupassem, ao longo de vários séculos, todos os continentes, inclusive ilhas isoladas do Oceano Pacífico. O despejo irregular do lixo e o descuido do homem na manipulação de alimentos são fatores que também favorecem a dispersão destes roedores. No ambiente urbano, os roedores são responsáveis por grandes prejuízos econômicos, contaminando alimentos e ocasionando, inclusive, incêndios ao roerem o isolamento de fios elétrico.
Ratazanas, ratos e camundongos têm excelente capacidade de adaptação. São onívoros e consomem diariamente cerca de um décimo do seu peso em alimento. Possuem dois pares de dentes incisivos (um par no maxilar superior e um par no maxilar inferior), revestidos externamente por uma camada de esmalte muito resistente. Estes dentes crescem até três milímetros por semana. Para desgastá-los roem objetos de grande resistência, tais como: concreto, chumbo e madeira. A capacidade de reprodução dos roedores é extraordinária. Um casal pode produzir mais de 15.000 descendentes por ano, porém este número se reduz de forma drástica devido à ação de fatores limitativos que controlam o equilíbrio entre reprodução, migração e morte. Destacando-se: inimigos naturais, doenças, disponibilidade de alimentos e abrigos, etc.

  • HABILIDADES - SENSORIAIS

Olfato: Bastante apurado, com memorização dos diferentes gostos experimentados. Repelem alimentos deteriorados.
Tato: O sentido mais desenvolvido, ao nível de certos pelos sensoriais distribuídos pelo corpo e dos bigodes ou vibrissas, que são de grande utilidade para o seu deslocamento, beirando as superfícies laterais das paredes e dos obstáculos.
Audição: É um dos sentidos mais desenvolvidos, ajuda a detectar e escapar do perigo com antecedência. São sensíveis aos ultra-sons, mas adaptam-se aos mesmos, em pouco tempo.
Visão: Os ratos enxergam mal e não conseguem distinguir cores. Mas são bastante sensíveis às variações de intensidade luminosa, o que confere aos mesmos capacidade imediata de perceber movimentos.

  • Habilidades - Físicas

• Passando a cabeça são capazes de se locomover pelo interior de canos, conduites e tubulações de diversos tamanhos.
• Roem vários tipos de materiais considerados duros, entre eles, madeira, tijolos, chumbo, alumínio, etc.

• Sustentam a respiração por até 3 minutos, e nadando dentro de um cano de esgoto, podem facilmente penetrar em uma residência através do vaso sanitário. Exímios nadadores, alcançando distâncias até 800 metros.
• Sobem pelo exterior de canos e calhas verticais que estejam separados de uma parede por até 7,5 cm de distância, apoiando as patas no cano e as costas na parede ou vice-versa
• Sobem pelo exterior de canos e calhas verticais que tenham até 9,5 cm de diâmetro, abraçando-se neles.
• Pulam verticalmente cerca de 1 metro de altura, partindo do chão.
• Caminham e equilibram-se sobre qualquer tipo de cano ou conduite horizontal.
• Acessam andares superiores de edificações, através do interior de canos e calhas com diâmetro entre 4 e 10 cm, usando para isso o apoio de suas patas e costas.
• Cavam tocas verticais no solo podendo atingir até 1,25 metros de profundidade.
• Ganham andares superiores de construções fazendo uso somente de quina de duas paredes como sustentação.
• Não sofrem qualquer tipo de ferimento em quedas até 15 metros de altura.
• Saltam horizontalmente até 1,2 metros de distância, partindo da imobilidade.
• As ratazanas e os ratos de telhado ou pretos vivem em colônias localizadas em lugares bem definidos. Já os camundongos formam apenas casais que se mantém juntos até o fim da vida.
• Os roedores exercem suas atividades predominantes à noite. Iniciam a procura de alimentos ao anoitecer e um repasse antes do nascer do dia. Apenas quando houver uma superpopulação ou falta de alimento ou de perigo serão vistos durante o dia.

  • Preferências alimentares.

• Onívoros (comem de tudo). Preferem alimentos frescos aos estragados ou fermentados.
• Preferem cereais (grãos quebrados), frutas, carnes e peixes.

  • Doenças transmitidas.

• Leptospirose – Salmonelas.
• Peste Bubônica - Hantavírus
• Sarnas e Micoses
• Febre de mordedura - Tifo murino

  • Principais espécies urbanas:
  • Ratazanas (Rattus Norvegicus).

- É o mais comum dos roedores urbanos. Tem hábitos noturnos, sedentários e agressivos. Normalmente vivem nas áreas externas das residências. Abrigam-se em tocas (ninheiros) e galerias que cavam as fundações dos edifícios, em depósitos de lixo, nos jardins, à beira de córrego ou valas. A rede de esgoto ou de escoamento pluvial, também, serve como abrigo para estes roedores.
- No interior de residências, abrigam-se entre pisos e paredes, nos espaços mortos de armários, etc...
- O corpo é robusto, podendo alcançar 25 cm de comprimento sendo revestido com pelos de coloração castanho-acinzentada. A cauda é grossa, pouco peluda e mais curta do que o conjunto cabeça e corpo. O focinho é rombudo, as orelhas são pequenas e dispostas para trás, encostadas à cabeça. Os pés traseiros são bem desenvolvidos, chegando a medir 37 mm.
- As fezes são grandes, escuras, cilíndricas e apresentam as extremidades arredondadas.
- Vive um ano em média. Atingem a maturidade sexual entre o segundo ou terceiro mês de vida. O período de gestação é de 22 dias, parindo oito ou dez filhotes por ninhada, procriando quatro ou cinco vezes por ano.
- Possuem hábitos semi-aquáticos e são excelentes nadadoras. Alimentam-se preferencialmente de peixes, carnes e cereais. Dificilmente ficam abrigadas em locais com distância superior a 45 m da fonte de alimento.

  • Rato (Rattus rattus)

- Conhecidos como "ratos de forro", são menores do que as ratazanas, ágeis e possuem o focinho afilado. A cauda é mais longa do que o conjunto cabeça e corpo, possibilitando um melhor equilíbrio. A coloração varia entre o preto e o cinza escuro. As orelhas são grandes e proeminentes. As fezes são fusiformes, medindo cerca de 12mm.
- Vivem cerca de 1 ano. A maturidade sexual é atingida entre o segundo e o terceiro mês de vida. O período médio de gestação é de 22 dias, parindo 4 e 8 filhotes anualmente com 5 a 6 ninhadas por ano.
- Abrigam-se acima do nível do solo. Em residências escondem-se em forros e sótãos. Nas áreas abertas, preferem o topo das árvores.
- São onívoros, preferem frutas, legumes e cereais. Dificilmente abrigam-se em locais com distância superior a 45 m da fonte de alimento.

  • Camundongos (Mus musculus).

- É o menor dos roedores domésticos. Tem tamanho aproximado de 18 cm, sendo 9 cm de corpo e 9 cm de cauda. Seu peso é aproximadamente de 15 gramas. O corpo é pequeno e delicado, revestido com pelos de coloração acinzentada. As orelhas são proeminentes e os olhos são vivos e salientes. As fezes são pequenas, finas e com as pontas afiladas, podendo ser confundidas com as fezes de baratas.
- Vivem cerca de um ano e com dois meses (68 dias) já são considerados adultos. O período de gestação é de aproximadamente 19 dias e a ninhada comum varia de quatro a oito filhotes. Procriam sete ou oito vezes por ano.
- São onívoros. Tem preferência alimentar por cereais.
- Abrigam-se em espaços de paredes, de armários, de móveis, ou até mesmo entre os gêneros armazenados. Dificilmente distanciam-se mais do que 9 metros entre o local de abrigo e a fonte de alimentação. Geralmente são confundidos com filhotes de ratazanas ou de ratos.


Breve Historia de Osasco
Período Colonial

O primeiro núcleo de povoamento de colonizadores foi a vila de Quitaúna, Vila pobre, os bandeirantes praticaram caça aos índios para serem escravizados. Fundada no século XVII, onde residiu o bandeirante Antônio Raposo Tavares e onde supostamente estaria enterrado. A vila foi esvaziada no século XVIII. Por causa da descoberta do ouro, os bandeiranes que antes habitavam a vila, foram para Minas Gerais2
Na região onde hoje se situa Osasco e em seus arredores existiam vários sítios e chácaras. Há especulações que havia uma estrada férrea de barões do café com uma estação modesta na região. Próximo às margens do Rio Tietê, no século XIX, havia uma aldeia de pescadores e também grandes fazendas. Uma delas foi vendida ao italiano Antonio Agù, e outra ao português Manuel Rodrigues, dois imigrantes que começaram a história da cidade.3
Antonio Agù foi proprietário de vários negócios e terras na região e, em 1887, comprou uma gleba de terra no quilômetro 16 da Estrada de Ferro Sorocabana. Por volta de 1890, resolveu ampliar sua pequena olaria e convidou para sócio o Barão Dimitri Sensaud de Lavaud. A olaria que fabricava tijolos e telhas passou a produzir também tubos e cerâmicas, dando origem à primeira indústria da cidade.4

Após outras iniciativas, em 1895, Agù construiu a estação ferroviária, erguendo várias casas nos arredores para abrigar os operários que chegavam para realizar a obra. 5 Os dirigentes da estrada de ferro quiseram batizar a estação com o nome do principal empreendedor da região, mas Antonio Agù pediu que a homenagem não fosse dada a ele e sim à sua vila natal da Itália: Osasco.6 Neste período Antônio Agu, casado com Josefina Vianco, traçou ruas na região do atual Centro da cidade e batizou o nome de uma rua em homenagem a sua primeira e única filha: Primitiva Vianco.
Fonte Wikipédia.













subir